O Tarô e a Mitologia Grega – A Imperatriz

DemeterGG    Por Gabriela Cecato

A Imperatriz, terceira carta dos Arcanos Maiores é representada por Deméter, que na Mitologia grega é a deusa da colheita e da agricultura.

Deméter é irmã de Zeus, filha de Cronos e Reia e mãe de Perséfone, como citei no texto anterior. Como deusa da colheita e da agricultura, todos os anos ela fazia com que o amadurecimento das plantações de trigo acontecessem e ao final de cada verão os mortais faziam oferendas como agradecimento pela fertilidade das terras. Assim podemos perceber que Deméter era responsável pelo ciclo e pela vida de tudo que estava em crescimento, o que faz dela uma deusa matriarcal com sua fonte de poder diretamente da terra. Dizem ainda que foi Deméter quem ensinou o homem a arar e semear a terra e já as mulheres foram ensinadas em como fazer o pão.Demeter

demeter e persefone

Deméter e Perséfone na plantação de trigo

Mas como nem tudo são flores… Quando Perséfone foi sequestrada por Hades e levada para o Mundo Inferior, ela soltou um grande grito que Deméter foi capaz de ouvir e começou a procura-la. Por nove dias e nove noites, Deméter a procurou pelo mundo com um archote aceso em cada mão. No décimo dia, encontrou com Hécate, que também ouviu o grito de Perséfone, mas não conseguiu ver quem a raptou. Até que o Sol, aquele que tudo vê, disse para Deméter que havia sido Hades quem sequestrou sua filha. Irritada com o que aconteceu, Deméter se recusou a voltar ao Olimpo e exercer suas funções divinas, tomou a forma de uma velha foi para Eleusis.

Durante seu período de exílio do Olimpo em Eleusis, as terras se tornaram inférteis e improdutivas, o que fez com que Zeus tivesse que interferir para que o balanço natural do mundo fosse reestabelecido. Zeus foi de encontro a Hades e pediu que Perséfone fosse devolvida, porém como vocês já sabem, isso não era mais possível uma vez que ela havia quebrado o jejum comendo uma romã nos domínios do Mundo Inferior (Veja o texto da Sacerdotiza). Chegaram então em um acordo muito simples: Perséfone ficaria na companhia da mãe durante nove meses do ano, a partir da primavera, e nos outros três meses ela viveria no Mundo Inferior. Assim, cada vez que Perséfone vai de encontro com Deméter as terras são férteis e produtivas.

a imperatriz_mitologico

Imperatriz – Mitológico

No tarô mitológico, na carta d’A Imperatriz, podemos ver Deméter em uma plantação e com um ramalhete de trigos no braço, a mão acariciando a barriga o que indica, aparentemente, que ela está gravida, um vestido de flores, uma coroa de castelos e torres e um colar com 12 pedras, que podem ser associadas aos 12 signos do zodíaco. Ao fundo podemos ver uma cachoeira e um lago, representando o naipe de copas e sua sentimentalidade.

Na carta d’A Imperatriz fica bem claro o empoderamento feminino. Como acabei de citar, no tarô mitológico temos a representação de uma mulher grávida e já no Rider Waite, Illuminati e Gilded isso fica bem mais nítido com a presença do
símbolo feminino. No tarô Gilded a simbologia feminina também se faz presente com o planeta Vênus ao fundo da carta.

a imperatriz_rider waite

Imperatriz – Rider Waite

a imperatriz_illuminati

A Imperatriz – Illuminati

a imperatriz_gilded

Imperatriz – Gilded

No tarô Gilded podemos ver também os símbolos dos 12 signos do zodíaco, algo que é somente representado pelo colar no tarô Mitológico. Outro elemento em comum entre os decks é a presença de uma plantação de trigo que se faz presente no Rider Waite e Illuminati, além do Mitológico como já observamos anteriormente.

Dentre as cartas d’A Imperatriz que observei, a do tarô de Marselha me pareceu a mais simples visualmente, porém com um detalhe interessante: podemos ver que há a presença de um escudo com uma águia, que pode representar o poder, a força, a proteção espiritual entre outras coisas. A águia ainda é considerada a rainha das aves.

Acho bem interessante esse empoderamento feminino que existe na carta d’A Imperatriz, pois assim fica claro o sentido dessa carta numa jogada. É o feminino presente em tudo, simbolizando a fertilidade, a prosperidade, o sentimentalismo – homens são sentimentais também, mas nós mulheres conseguimos levar isso para outro nível muitas vezes – muitas vezes pode indicar uma pessoa mais velha na vida da consulente. Depois de alguns meses de estudo e esse texto, hoje consigo ver que é uma das cartas melhor representada, pois é nítida a relação do simbolismo com o seu significado.

cartas madame dorothea

cartas Madame Dorothea, filme Cidade dos Ossos

Como gosto sempre de falar a respeito de algum livro ou filme no final do texto, dessa vez não tem relação com a mitologia grega, mas sim com o tarô de certa forma. A autora Cassandra Clare (autora das coleções Instrumentos Mortais, As Peças Infernais e Os Artifícios das Trevas) juntamente com a artista Cassandra Jean, fizeram o tarô Shadowhunter. Como é baseado nas histórias dos livros, as cartas possuem nomes e naipes diferentes, porém para quem conhece as séries sabe que elas são bem semelhantes ao tarô em relação às características dos personagens. Além desse tarô, no primeiro livro – Cidade dos Ossos – também há referências ao tarô (uma vidente ganha um deck personalizado que possui uma carta que serve como esconderijo para um objeto mágico) que foi desenhado e impresso especialmente para o filme. Mesmo não tendo o tarô como tema principal, vale muito a pena conferir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *